top of page

Canibal- Adam Mattos

O dia das bruxas é amanhã, então para celebrar a data trazemos uma poesia macabra do autor Adam Mattos. Preparado para se arrepiar?


Leia agora a poesia inédita exclusiva para o blog Flyve!



Capa da poesia "Canibal" de Adam Mattos. Mostra um fundo de papel com uma escrita a mão. Na frente o título laranja e abaixo o nome do autor. Uma pena preta de escrita abre um espaço para uma foto de alguém segurando uma faca a noite, iluminada pelos faróis de um carro que se aproxima.

Canibal

Adam Mattos


Passeava tranquilo ouvindo os pássaros

Tentava identificá-los sem sucesso

Meus pensamentos ficavam menos claros

Dificultando o já planejado processo


Como deixei minha vida chegar a esse ponto?

Por que a consciência teima em me atrapalhar?

Antes estava sempre pronto

E agora tenho medo de falhar


Não por ser preso… nada disso

Nunca me importei com banalidade

O medo é de não cumprir o serviço

Ordenado por minha santidade


Esse não perdoa peso na consciência

Na verdade não perdoa nada

Quando fiz o pacto, tinha essa ciência

Não adianta, terei que comê-la assada.




O Escritor Adam Mattos autografando um livro. Atrás dele há várias estantes e ele está apoiando o livro em uma mesa de madeira. Usa óculos e um boina, além de um terno cinza com uma blusa azul clara.
Escritor Adam Mattos

Sobre o autor:

Adam Mattos é um mensageiro do sombrio, do macabro e do desconforto. O autor, de 35 anos, nascido em Londrina, dedica seus dias a criar páginas aterrorizantes para os seus leitores e incentivar a leitura de autores nacionais. Estreou com o livro de poesia “Alma em pedaços”, que deu início também a uma trilogia da maldade, composta por mais um livro de contos, “Devaneios de uma mente perturbada” e um romance que está em processo de escrita.









O que achou da poesia? Prestigia o autor e conta aqui nos comentários.


bottom of page